segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Bate-papo com o guitarrista Dallton Santos

Olá, pessoal! Hoje venho com prazer postar um bate-papo bem legal que tive com o guitarrista Dallton Santos, de Caçapava, que está lançando seu CD "Virtual Fusion"! Espero que curtam!

Davi - Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pelo novo trabalho! Como surgiu a idéia de produzir um CD em que todos os instrumentos, com exceção das guitarras, são virtuais?

Dallton - Obrigado, Davi. Produzir um CD de fusion com instrumentos virtuais veio para mim como um grande desafio. Eu sabia que não seria uma tarefa fácil, mas por outro lado, ter a possibilidade de escrever linhas de baterias, teclados e percussões, ainda mais com uma boa qualidade, me atraiu bastante ao ponto de tocar adiante esta ideia.
Hoje em dia o mundo virtual já faz parte das nossas vidas. O nome “Virtual Fusion” surgiu da proposta dessa fusão de Instrumentos virtuais com reais, além é claro, de fazer uma menção ao estilo fusion presente no CD. As guitarras e os baixos eu mesmo gravei. O restante, foram VSTi (Virtual Studio Technology Instruments).
 
Davi - Quais foram os prós e os contras de ter produzido a maior parte do álbum sozinho?

Dallton - Vamos aos prós...
Agora com o CD em mãos, olho para trás e me lembro dos primeiros passos deste projeto, dos primeiros temas e das várias sessões de gravação. Enfim, ver isso hoje me dá muito orgulho.
Aprendi bastante sobre produção musical, timbres, mixagem, efeitos e tecnologia musical. Tive ajuda de vários amigos que já dominavam o assunto e também fiz alguns cursos de produção musical. Aliás, ter produzido a maior parte do álbum sozinho mostra também uma concepção minha como produtor musical, outra área bastante legal de se trabalhar.
Ouvi também muitos trabalhos do Dave Weckl, Niacin, Horacio Hernandez, entre outros que me inspiraram.

Os contras...
Este sistema de fazer tudo sozinho muitas vezes sobrecarrega, porém se aprende demais, então uma coisa compensa a outra. No fim, a produção do Virtual Fusion para mim foi um grande aprendizado.

Davi - Os instrumentos são repletos de detalhes e muito bem trabalhados, principalmente no que se refere à dinâmica. Quais foram os pontos que deram mais trabalho na hora da programação?

Dallton - Minha maior preocupação foi a bateria. Sobre a dinâmica e o cuidado em escrevê-la com um bom senso musical, ou seja, produzir algo que não saisse do contexto da realidade na questão da tocabilidade.
Eu costumo falar que toquei bateria neste CD. Tenho várias ideias rítmicas, que inclusive aplico no fraseado de guitarra, mas minha coordenação motora não me permite executá-las em uma bateria de verdade.
A bateria sequenciada evoluiu muito. Desde a época em que Joe Satriani fez uso em 1987 em algumas musicas do CD Surfing with the Alien até hoje, os sofwares de bateria oferecem samples das melhores baterias do mercado e a possibilidade de trabalhar a dinâmica de cada peça, tempo, efeitos e todos macetes que um baterista aplica numa bateria real, óbvio guardadas devidas proporções. Mas com paciência é possivel produzir um bom material.
Acredito que o grande diferencial neste cd é o fato de fazer fusion, um estilo complexo. Para minha alegria, grande parte dos elogios que tenho recebido sobre este CD tem vindo por parte de bateristas.
 
Davi - Qual foi o setup utilizado nas gravações?

Dallton - Guitarras N. Zaganin e Fender Deluxe. Amplificador Laney LC50.

Davi - Atualmente, quem são suas maiores influências (sejam elas musicais ou não)?

Dallton - Tenho ouvido Allan Holdsworth, o saxofonista Joshua Redman, música instrumental brasileira e já pré-produzindo material para um próximo CD.
Tenho também tido o privilégio atualmente de poder trabalhar com ótimos músicos. Considero isso também uma grande influência na minha musicalidade.

Davi - Vamos falar um pouco sobre carreira. Olhando a sua volta e observando o mercado musical, qual é a percepção que você tem? Você acha que, no geral, as marcas, a mídia especializada e os eventos e festivais estão valorizando aqueles que produzem música ou ainda batem na tecla das coisas que apenas vendem mais?

Dallton - Temos o SESC aqui no Brasil que dá valor a boa música, vários festivais e algumas cidades que apoiam mais a cultura que outras.
Minha percepção sobre o que é bom no mercado musical está fora da realidade que as revistas publicam.
Temos essa mídia fraca jogando no subconsciente que "tal" marca é a melhor, que ser um bom guitarrista é tocar como fulano, que ser um endorse de X ou Y é status, seja o mais rápido, e por aí vai a lista.
Meu conselho, principalmente para a moçada nova, é que fiquem espertos e fujam disso. Pensem em música, ouça tudo que tiver qualidade, faça o som que você gosta, seja você e acredite em você.

Davi - Você acha que morar no interior de São Paulo interfere muito em sua carreira?

Dallton - Bom, hoje a globalização esta aí para facilitar a vida em termos de contato, divulgação e venda. Sobre localização, a região está entre um eixo Rio x SP de fácil e rápido acesso.
Musicalmente eu diria que o cenário aqui da região tem revelado muitos talentos. Você consegue reunir um ótimo time de músicos daqui para uma “gig” ou gravar seu cd.
Oportunidades, talvez...mas tudo tem sua razão e hora para acontecer. Vou fazendo a minha música.

Davi - Fale o que você acha sobre o papel da internet na carreira do músico hoje.

Dallton - Acho que tem facilitado muito a divulgação do artista independente. As redes socias estão funcionando como gravadoras e interligando pessoas e músicos de todo o mundo. Prova disso esta no vídeo que produzi com opiniões de pessoas de várias partes do mundo que ouviram o CD Virtual Fusion  (http://www.youtube.com/watch?v=FADAeuUm86k). Sem a internet, isso seria impossível.
Não tem como não reservar pelo menos 30 minutos do dia para internet. O lance é saber agregar, mesmo porque corre-se o risco de estar perdendo o tempo no mundo virtual, já que tudo rola e acontece mesmo é no mundo real, com contatos, convivência com músicos, estúdios, palco, etc.

Davi - Comente sobre algo que aconteceu na sua carreira que você considere muito importante.

Dallton - Bom, nós somos o resultado de nossas vivências. Sou grato a todas as pessoas que me ajudaram. Virtual Fusion é o resultado de tudo, por isso acho que o momento presente está sendo o mais importante.

Davi - Sinta-se à vontade para dar algum recado e fazer as considerações finais.
Dallton - Agradeço ao espaço, dou meus parabéns ao blog pelo conteúdo que tem publicado e caso queiram entrar em contato para produções, aulas e workshops entrem em contato comigo pelo site www.dallton.com .

Em breve sairei com este trabalho para divulgação com banda.

Grande abraço e muita música a todos!

Alguns comentários sobre o CD "Virtual Fusion"



Teaser do "Virtual Fusion"



É isso, galera! Espero que tenham gostado!
Um abraço e até a próxima!

Davi Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário